Puxe uma cadeira, pegue um café e viaje com a gente!
 

Roteiro Inhotim – parque, museu e jardim de sensações

Roteiro Inhotim – parque, museu e jardim de sensações

Neste post, fiz um Roteiro Inhotim para orientar a sua visita. E ainda, algumas dicas especiais para aproveitar esse lugar pertinho de Belo Horizonte considerado o maior museu de arte a céu aberto do mundo, sede de um dos mais importantes acervos de arte contemporânea do Brasil. Em 2016, o Instituto Inhotim de Minas Gerais completou 10 anos aberto à visitação.

Tudo bem se você não entende nada de artes

Não entende nada de artes? Tudo bem. Inhotim não é só museu. É parque, é natureza, é paisagem, é arquitetura, é projeto social, é contemplação, é conhecimento, é diversão, é aprendizado, é relaxamento, é o melhor da gastronomia mineira, é tudo isso e muito mais em uma sintonia surreal. E ainda: é uma forma original e visual de apresentar a arte contemporânea.

Inhotim Minas Gerais
Mesmo os mais desinteressados pelo assunto se enxergarão envolvidos e fascinados por esse mundo tão expressivo. Saí de lá com vontade de descobrir mais sobre Lygia Clark, Tunga, Hélio Oiticica, Adriana Varejão, Cildo Meireles, Doug Aitken, Chris Burden, entre outros tantos que fazem parte dessa grande obra maior que é Inhotim.

Inhotim visita Café Viagem (28)


SOBRE BRUMADINHO
Cidade de Inhotim

O Instituto Inhotim está localizado a cerca de 60 km da capital mineira de Belo Horizonte, na cidade de Brumadinho. São por volta de uma hora a uma hora e meia de viagem. Abre de terça a domingo a partir das 9h30. Os primeiros a chegarem no parque vão estranhar (e até desanimar) com a intensa bruma que esconde sua beleza. Calma, ela acontece todas as manhãs e, quase sempre, vai embora até as 11h.

Foi assim que descobri o motivo pelo qual a cidade se chama Brumadinho. Se você chegar bem cedo, vai ver também!

A bruma ao amanhecer

A bruma ao amanhecer

 

 SOBRE INHOTIM

O Instituto começou ser idealizado pelo empresário mineiro Bernardo Paz por volta de 1980. O refúgio de final de semana desse magnata da mineração foi aos poucos se transformando e se ampliando. Teve as mãos importantes de figuras celebradas no plano artístico: Roberto Burle Marx (patrono do paisagismo em Inhotim) e de Tunga, um dos maiores nomes da arte brasileira que faleceu em 2016. Ambos foram grandes influenciadores de Paz no sonho de criar a “Disneylândia” da arte contemporânea e da natureza.

Atualmente, Inhotim tem 140 hectares de área com jardins e inúmeros pavilhões projetados especialmente, e em total harmonia, com as obras de arte. O espaço também oferece 2 restaurantes e 1 café.

recepção e bilheteria, chegando em Inhotim no horário de abertura: 9h30

recepção e bilheteria, chegando em Inhotim no horário de abertura: 9h30

Dica: não deixe a lojinha para o final pois ela fica lotada. São 2 lojas: uma em frente à outra

Dica: não deixe a lojinha para o final pois ela fica lotada. São 2 lojas: uma em frente à outra

A Disneylândia” da arte contemporânea e da natureza.

Logo se percebe que o Instituto é, antes de mais nada, um parque de infinitas sensações para qualquer idade ou classe social. E, como já falei antes, não é preciso ser um especialista em arte ou botânica para viver a experiência concentrada que Inhotim proporciona. É necessário apenas estar com um bom tênis, roupas leves e pronto para exercitar os seus cinco sentidos. Indispensável, também, entregar-se à dispersão pitoresca dos percursos. Ah, um repelente na bolsa cai bem.

E ainda: roupa de banho nos dias quentes para caso surja a repentina a vontade de entrar em uma das piscinas do parque. Vá de coração e olhos bem abertos. A grande proposta do espaço é sair do plano de observador para o de coadjuvante ou protagonista da obra. É tocar, é sentir. É literalmente entrar na tela ou na obra, afinal cada jardim ou ângulo de Inhotim revela uma pintura a ser percorrida, olhares a serem pincelados.

Natureza e arquitetura em sintonia. Pavilhão imperdível de Adriana Varejão do arquiteto Cerviño Lopez

Natureza e arquitetura em sintonia. Pavilhão imperdível de Adriana Varejão do arquiteto Cerviño Lopez

 

——— CHEGANDO EM INHOTIM
Para que lado eu vou?

A fila começa a se formar cedo na bilheteria de Inhotim. Nas quartas-feiras, a entrada é sempre gratuita. Eu fui em uma sexta-feira para evitar a agitação maior do fim de semana. Como é difícil fazer o parque todo caminhando, a recomendação é que além do ingresso (de R$ 25 a 40 ) você também adquira a pulseira que dá direito aos carrinhos elétricos que fazem o transporte interno (R$ 25 – crianças até 5 anos não pagam). Quem quer exclusividade pode contratar um guia especial e (ou) carro para até 5 pessoas que fica disponível somente para o grupo (R$480 diária / R$160 por hora).

Sim, vale a pena incluir os carrinhos se você quiser ver as galerias mais distantes ou tomar um banho de piscina

Sim, vale a pena comprar a pulseira dos carrinhos elétricos (transporte interno) se você quiser ver as galerias mais distantes ou tomar um banho de piscina

Pegue o mapa e fique atento as cores

Ao pegar o mapa na entrada do parque, você vai perceber (afora a sua extensão impressionante) que a área se divide em 3 rotas e cores: laranja, amarelo e rosa. A recepção está na rota rosa. A rota amarela é a mais fácil de ser percorrida a pé e não possui transporte de carrinhos. Muita gente só faz essa rota ou começa o passeio por ela. Nas rotas laranja e rosa, recomenda-se fortemente o uso do carrinho devido às longas distâncias e aos acentuados aclives e declives do terreno.

Um pequeno trecho das rotas rosa e laranja, próximo a recepção, é mais plano e não oferece o transporte do carrinho.

começando o dia na cafeteria do parque tentando entender o mapa e planejando o meu percurso

começando o dia na cafeteria do parque tentando entender o mapa e planejando o meu percurso

Tour guiado, inscreva-se na chegada 

Na minha experiência, mesmo com o mapa em mãos e tendo pesquisado previamente em posts de outros blogs, fiquei uma hora como uma barata tonta na entrada de Inhotim. Acho que o meu entusiasmo me fez perder a direção nos primeiros momentos. Ainda bem que me inscrevi na visita guiada panorâmica gratuita que acontece diariamente às 11h (e também tem às 14hs). Recomendo!

O tour é bem abrangente, dá uma visão geral em uma hora e meia ou menos. Serviu como ponta pé essencial para seguir a jornada, tipo “tá, agora vai, se joga no mundo de Inhotim, Alexandraaaa”.

A turma do tour panorâmico gratuito com o guia partindo às 11h

A turma do tour panorâmico gratuito com o guia partindo às 11h

Inhotim (5)

****** Roteiro Inhotim ******

——— PLANEJANDO O PASSEIO:
PASSO 1


Procure iniciar o seu percurso pela centenária árvore tamboril. Ela é considerada o coração de Inhotim. Quando chegar até ela você logo vai entender o motivo. A árvore fica bem próxima do restaurante im-per-dí-vel que leva o nome da árvore. Serve um bufê cinco estrelas em um ambiente que mais parece um cenário de filme (ou melhor, de um sonho). O restaurante Tamboril mereceu um post só dele no blog. Em breve aqui o link. Reserva a sua fome!

O coração e símbolo de Inhotim: a centenária árvore Tamboril

O primeiro passo: procurar o coração e símbolo de Inhotim: a centenária árvore Tamboril

Para planejar a sua visita, pense nos seus interesses: quero relaxar, quero contemplar arte, quero namorar, quero só curtir ou quero me perder? Ou quero tudo isso? Há quem dedique a visita apenas à arte. Outros, passam o dia inteiro de banco em banco à sombra das árvores. São mais de 100 bancos de madeira do designer Hugo França espalhados por Inhotim, esculturas mobiliárias feitas de resíduo florestal. Uma coisa é certa: para onde se olha, há uma surpresa. Na arte, no design ou na natureza.

Os bancos de Hugo França, uma das grandes atrações de Inhotim. Escolha o seu e namore!

Os bancos de Hugo França, uma das grandes atrações de Inhotim. Escolha o seu e namore!

 

——— PLANEJANDO O PASSEIO:
PASSO 2

Seleção de galerias e atrações para visitar por áreas

É difícil saber para onde ir com tanta novidade pulsando ao seu redor. Acho que fiz uns 70% de toda a área de arte contemporânea. Selecionei alguns pavilhões e áreas que valem muuuuito a pena. Porém, não esqueça: é importante reservar um momento para se perder pelos jardins e matas com esculturas, recantos e plantas exóticas.

Segue a lista (por cores das rotas) para copiar e colar no seu passeio.
Baixe aqui o mapa e acompanhe

 

> > R O T A    A M A R E L A

É a trilha para ser percorrida a pé, a mais fácil. Nessa área não perca :

True Rouge de Tunda visto do outro lado do lago

Galeria True Rouge de Tunda vista do outro lado do lago – G2 no mapa, rota amarela

Desvio vermelho

Desvio para o vermelho (G5) onde se entra sem sapato no ambiente de Cildo Meireles

A Galeria da Praça

A Galeria da Praça

Um espaço para se arrepiar, instalação sonora de Janet Cardiff e George Bures Mille

Um espaço para se arrepiar, instalação sonora de Janet Cardiff e George Bures Mille

Bar do Ganso

Bar do Ganso, todo design

O restaurante Tamboril que vai ganhar um post só sobre ele

O restaurante Tamboril tem post só sobre ele no Café Viagem, já viu?

 

 >> R O T A    R O S A

Observe que o início da trilha não oferece o transporte de carrinho.
Nessa área não perca :

Para ir caminhando….

  • a recepção para pegar mapa e agendar visita guiada e visitar a lojinha;
  • o Centro de Educação e Cultura Burle Marx (A17 no mapa)
  • percorrer o entorno do lago a pé;
  • a obra a céu aberto Magic Square de Hélio Oiticica (A12 no mapa)

Para ir de carrinho ….

  • Galeria da fotógrafa Claudia Andujar     (G23 no mapa) – galeria inaugurada no final de 2015 com o trabalho brilhante e impactante dessa suíça radicada no Brasil;
  • Galeria Doug Aitken (G10 no mapa) – certamente uma das mais comentadas de Inhotim. Um pavilhão circular de vidro com um buraco de 200 metros de profundidade com microfones potentes que permitem o visitante ouvir e sentir o som da terra;
  • Instalação Matthew Barney (G12 no mapa) – como está bem próxima da galeria Doug Aitken, vale também a visita. Principalmente pela surpresa de encontrar uma obra futurista no meio de uma trilha na mata.
A área

Centro de Educação e Cultura Burle Marx (A17 no mapa) – próximo à cafeteria

No entorno do lago, atrás da recepção: Magic Square de Hélio Oiticica (A12 no mapa)

No entorno do lago, atrás da recepção: Magic Square de Hélio Oiticica (A12 no mapa)

Galeria imensa e imperdível da fotógrafa Claudia Andujar

Galeria imensa e imperdível da fotógrafa Claudia Andujar

Galeria Doug Aitken (o som da terra!)

Galeria Doug Aitken (o som da terra!)

deite para ouvir o som da terra. O buraco profundo com microfones está no centro do pavilhão

deite para ouvir o som da terra. O buraco profundo com microfones está no centro do pavilhão

Instalação Matthew Barney

Instalação Matthew Barney

 

>> R O T A    L A R A N J A

Nessa área não perca :

Para ir caminhando….

  • Galeria Lygia Pape (G20 no mapa) – bom avisar que o ambiente é bem escuro;
  • Galeria Adriana Varejão (G7 no mapa pra ir caminhando ou de carrinho!!) – outra que arrepia também na arquitetura da instalação. Os azulejos são a marca registrada da artista que foi esposa de Bernardo Paz. A vista da laje da cobertura do pavilhão e suas escadas também valem a visita;

Para ir de carrinho ….

  • Piscina de Jorge Macchi (A15 no mapa) – se quiser, banho é liberado!
  • Galeria Cosmococa (G15 no mapa) – um dos espaços mais sensoriais onde Hélio Oiticica trabalha com o cineasta Neville D’Almeida criando salas onde o visitantes é o centro da obra, sentindo-se em outras décadas e em uma festa. Não vou quebrar a surpresa. Mas se o dia for quente, leve roupa de banho e toalha para visitar a galeria. E prepare-se para se sentir assim meio … chapado! ;

 

obra de Lygia Clark no escuro

obra de Lygia Clark no escuro

Galeria de Adriana Varejão e o visual da cobertura

Galeria de Adriana Varejão e o visual da cobertura

Galeria Psicoativa Tunga (G21 no mapa)

Galeria Psicoativa Tunga (G21 no mapa)

Piscina de Jorge Macchi

Piscina de Jorge Macchi

vá, brinque e se surpreenda: Galeria Cosmococa

vá, brinque e se surpreenda: Galeria Cosmococa

apure o olhar : escultura Elevazione de Giuseppe Penone (A21 no mapa) e au queda de viga (A14 no mapa) e os fuscas coloridos

apure o olhar : escultura Elevazione de Giuseppe Penone (A21 no mapa) e au queda de viga (A14 no mapa) e os fuscas coloridos

——— POR FIM, SINTA

Se ainda não está, um dia Inhotim vai entrar para a sua lista de lugares do Brasil para visitar antes de morrer. No meu caso, Inhotim acabou de entrar, este ano, para a lista dos “lugares que preciso voltar”. Em Inhotim, os horizontes se ampliam. E mesmo que você não entenda nada de artes ou plantas, vai compreender que basta apenas a emoção para se encantar com esse pequeno grande mundo de sensações.

Inhotim visita Café Viagem (2)

Veja mais dicas de Minas Gerais no Café Viagem

ROTEIRO 4 DIAS EM BELO HORIZONTE COM BATE-VOLTA INHOTIM E OURO PRETO

RADISSON BLUE, NOSSA DICA DE HOTEL EM BH NO CORAÇÃO DE SAVASSI

INHOTIM, DICAS PARA CURTIR ESSE PARQUE DE SENSAÇÕES 

ALMOÇO EM INHOTIM NO RESTAURANTE TAMBORIL

CASA BONOMI – UM CAFÉ COM CHARME EM BELO HORIZONTE

VISITA AO MERCADO CENTRAL BELO HORIZONTE – EXPERIÊNCIA GASTRONÔMICA BEM BRASILEIRA

ALMOÇO IMPERDÍVEL EM BELO HORIZONTE NO XAPURI

 

SAIBA MAIS

INSTITUTO INHOTIM
BRUMADINHO – MINAS GERAIS
BRASIL
SITE: www.inhotim.org.br

INGRESSO

Terça e quinta-feira: R$ 25,00
Quarta-feira (exceto feriado): entrada gratuita
Sexta, sábado, domingo e feriado: R$ 40,00
Fechado às segundas-feiras.
Meia-entrada :  crianças de 6 a 12 anos (abaixo de 5 não paga entrada), idosos acima de 60 anos, estudantes identificados e professores das redes formais pública e privada de ensino identificados.

⇒ HORÁRIOS

Horário parque:
de terça a sexta-feira: 9h30 às 16h30
Sábado, domingo e feriado: 9h30 às 17h30
Horário Restaurantes:
de terça a sexta-feira: 12h às 16h
Sábado, domingo e feriado: 12h às 17h
Horário Café e lanchonete:
Terça a sexta-feira: 9h30 às 16h
Sábado, domingo e feriado: 9h30 às 17h

 

QUANTOS DIAS

Muitos recomendam dois dias no mínimo para ver tudo, principalmente as galerias de arte. No entanto, e no meu caso, um dia bastou para se apaixonar e querer voltar.

COMO CHEGAR EM INHOTIM

É fácil fazer um bate e volta ao Instituto Inhotim a partir de Belo Horizonte. É possível ir de ônibus ( que partem da rodoviária diariamente), contratar um traslados ou mesmo alugar um carro. Eu fechei um pacote com um taxista que recomendo. Foi por volta de R$ 300 para 3 pessoas . Partimos cedo e ele ainda nos mostrou pequenas cidades do inteiro no caminho até Brumadinho. Valeu a pena. O nome dele é Cadu e o telefone para contato é (31) 8031 1984 

ONDE SE HOSPEDAR

Fiquei hospedada em Belo Horizonte (60 km de Brumadinho) no hotel que recomendo fortemente, o Radisson Blu. Fiz bate e volta e achei o passeio bem tranquilo. A cidade de Brumadinho também oferece hospedagem em pousadas mais simples (pesquise aqui ofertas Brumadinho no Booking).

 


no seu email !


SITES PARCEIROS DO BLOG QUE INDICAMOS PARA PLANEJAR A SUA VIAGEM 

ONDE FICAR
PESQUISE E RESERVE: HOSPEDAGEM  BELO HORIZONTE    OU    BRUMADINHO NO BOOKING
site que oferece melhores tarifas, sem taxa de reserva e a facilidade de cancelamento grátis.

SEGURO VIAGEM
FAÇA AQUI A SUA COTAÇÃO NA REAL SEGURO VIAGEM
site que faz uma busca entre as melhores seguradoras e oferece o melhor preço

ALUGUEL DE CARRO
PESQUISE AQUI MELHORES TARIFAS PARA ALUGUEL DE CARRO EM MG
site que faz uma busca entre as principais locadoras e oferece o melhor preço

Compartilhar este Post
Escrito por

Muito prazer, sou Alexandra Aranovich, autora do Café Viagem - blog para quem acorda sonhando com a próxima viagem. Sou publicitária e sommelier pela ABS-RS. Acima de tudo, turista apaixonada por café da manhã, vinhos e experiências gastronômicas. Moro em Porto Alegre, mas vivo com o coração no mundo.

Sem Comentários

DEIXE SEU COMENTÁRIO