Degustação e visita Catena Zapata – a vinícola do “pai” do Malbec

Por Alexandra Aranovich

A visita Catena Zapata de Mendoza na Argentina é uma das mais procuradas por brasileiros segundo os guias turísticos mendocinos. Fundada em 1902, a Catena é um ícone do mundo do vinho e do malbec. E, talvez por isso, uma das vinícolas mais visitadas de Mendoza e mais respeitadas do mundo. Seus vinhedos são históricos e únicos, como Maipú (Angélica Vineyard) ou Gualtallary no vale do Uco (Adriana Vineayard). Em uma primeira viagem à Mendoza é quase impossível deixar esta vinícola fora da lista de degustação.

No primeiro dia do nosso roteiro de vinícolas em Mendoza, visitamos a Achával Ferrer, a Catena Zapata e almoçamos na bodega Susana Balbo (veja aqui o roteiro completo)

os vinhedos históricos da Catena Zapata

Entrada da Catena Zapata vale o registro, fica a dica. Linda vinícola

A Catena Zapata construção em formato de pirâmide maia com a paisagem impressionante dos vinhedos e da Cordilheira no seu entorno. O estilo arquitetônico (com construção foi inspirada no Templo de Tikal, da Guatemala) imprime grandiosidade a esse templo do vinho.

Degustação e visita Catena Zapata

A visita e a degustação seguem um padrão bem turístico não reservando grandes surpresas. Tem um tom impessoal. De qualquer forma, vale a pena pelo respeito e pela qualidade dos seus vinhos. A visita inicia com a apresentação de um vídeo e logo após é feito um tour em grupo pelo prédio, pela sala das barricas, pelas adegas da Catena até chegar à sala de degustação.

o tour inicia com um vídeo sobre a história da Catena

A visita à Catena Zapata segue pelas adegas

a bela sala das barricas da Catena Zapata também faz parte do tour

O que diferencia os tipos de tours da Catena Zapata são, em grande parte, os vinhos degustados. No nosso tour a degustação foi a de vinhedos únicos que incluía excelentes rótulos da casa, mas não os mais caros e famosos.

Fotinho do grupo de amigos não pode faltar no tour da Catena, certo?

No ambiente silencioso da sala de degustação com janelas de vidro para as barricas, foi feita a degustação que dura por volta de 25 minutos.

Os vinhos degustados foram :
Catena Malbec 2011 – Nicasia Vineyard
Catena Malbec 2011 – Adriana Vineyard
Angelica Zapata Cabernet Franc 2011 Adriana Vineyard
Cabernet Sauvignon 2011 La Piramide Vineyard

Vinhos destaques da Catena: Chardonnay White Bones, Estiba, Nicolas Catena Zapata

Os valores das degustações e tours da Catena variam entre $ 300 pesos argentinos a $1500 (degustação top). A nossa degustação foi negociada através do nosso guia (falei dele neste post!).

turminha boa na degustação e visita à Catena Zapata de Mendoza

Sobre a Catena Zapata

A Catena Zapata é um dos grandes nomes responsável pela decolagem da viticultura na Argentina e, mais ainda, pela fama do Malbec argentino no mundo. Uma vinícola reverenciada pelos experts do vinho, líder inquestionável de qualidade e extremamente premiada. Grande parte disso se deve à Nicolas Catena, proprietário da Catena Zapata e um dos responsáveis pela bandeira enológica argentina.

O avó de Nicolas plantou as primeiras vinhos de malbec em 1902. Domingos, pai de Nicolas, expandiu o negócio. Mas foi por volta de 1990 que Nicolas Catena daria início a sua revolução da vinícola influenciado (dizem os especialistas) pelos anos em que viveu na Califórnia. Nicolas levou ao nível mais alto a qualidade do varietal argentino. Plantou no início da década de 90 , 145 cepas diferentes de Malbec provenientes do antigo vinhedo Angélica.

quando visitamos a Catena Zapata os parreirais estavam repletos de uva

O enólogo da Catena: Alejandro Vigil

Atualmente, Nicolas Zapata conta com outra grande força do vinho argentino, o agrônomo, enólogo da Catena e apaixonado por solos, Alejandro Vigil. Alejandro é incansável em estudar e compreender cada vinhedo, cada lote e cada planta. Alguns o intitulam como “ louco”, outros como gênio. Seja louco ou gênio, Alejandro é extremamente simpático e acessível. Encontramos Alejandro nos vinhedos da Catena estudando o comportamento das uvas após a chuva que caiu dias antes da colheita.  Detalhe: chove muito pouco em Mendoza, 45 dias por ano. Mas nesse fim de verão a chuva pegou todos de surpresa, inclusive a gente que pegou apenas um dia de sol na viagem.

Tivemos a honra de tirar uma foto do grupo com o enólogo da Catena (que registro!).

E tivemos o imenso prazer em reencontrar Alejandro Vigil no dia seguinte, em um almoço inesquecível que tivemos em sua vinícola, a El Enemigo (também chamada de Bodega Aleanna). Em parceria com Adriana Catena, a filha mais nova de Nicolas Catena, Alejandro toca este projeto de sucesso desde 2008. Atualmente, a El Enemigo é visita tão imprescindível em Mendoza quanto a Catena.

os vinhedos da Catena Zapata após a rara chuva de Mendoza

No final da visita, assim como em várias vinícolas de Mendoza, acabamos fazendo compras na loja. Além dos vinhos, recomendo um livro sobre a Catena que fiquei arrependida de não ter levado. Conta a história não só da bodega mas também de Mendoza e foi escrito por Laura Catena. Uma bela recordação da viagem. Fica a dica!

 

SAIBA MAIS

 

BODEGA CATENA ZAPATA
Cobos s/n, 5509 Lujan de Cuyo
Mendoza – ARGENTINA
Aberto de segunda a sábado para visitas (visitas devem ser agendadas!)
Site : www.catenawines.com

 

 + Dicas de Mendoza no Café Viagem

RESUMO DO NOSSO ROTEIRO MENDOZA ENTRE AMIGOS 

BODEGA NORTON – a experiência de enólogo por um dia

BODEGA EL ENEMIGO – almoço harmonizado imperdível em Mendoza na casa de Alejandro Vigil

DICA DE TRANSPORTE, GUIA EM MENDOZA  

DICAS DE MENDOZA NA ARGENTINA – ROTEIRO A DOIS 

 

ENCONTRE O SEU HOTEL EM MENDOZA
Clique aqui e consulte as ofertas do Booking.com
 que além das tarifas econômicas
tem a facilidade de reserva com cancelamento grátis para a maioria dos quartos.

NÃO ESQUEÇA O SEGURO VIAGEM
BUSQUE AQUI MELHORES PREÇOS E VÁRIAS OPÇÕES DE SEGURO DE VIAGEM

  • Compartilhe
Alexandra Aranovich
Alexandra Aranovich
A autora dos textos e fotos do blog é publicitária e faminta por viagens e experiências gastronômicas. Além do Café Viagem, é colunista do Caderno Vida do jornal Zero Hora, autora do Guia Essencial Gramado e Canela da Pulp e do blog Destemperadinhos. Mora em Porto Alegre, mas vive por aí com o coração no mundo, sonhando com o próximo destino.
15
jun
17
Deixe o seu comentário!